quinta-feira, 8 de abril de 2010

Frente fria chega a Salvador causando prejuízos

 casas na parte mais baixa do bairro foram inundadas
Os relâmpagos clarearam o céu. Era a chegada a Salvador da frente fria que veio do sudeste. À noite, choveu forte em vários trechos da orla, como no bairro de Armação. A frente fria também trouxe ventania que causou prejuízos aos moradores do bairro de Mussurunga.

Segundo os moradores, a ventania veio acompanhada de muita chuva e durou de cinco a dez minutos, no máximo. Mas foi tempo suficiente para provocar diversos estragos pelo bairro.

Casas e prédios foram destelhados, diversas árvores caíram, fios de energia elétrica partiram e alguns setores, como o setor C, no fim de linha, e também a praça do setor F ficaram sem luz.

No Colégio Raul Sá, galhos de uma árvore caíram. Três alunos ficaram feridos e foram levados pelo Samu para o Hospital Menandro de Farias, em Lauro de Freitas. As aulas tiveram que ser suspensas.

O vento forte também derrubou árvores no Dique do Tororó e no bairro de Nova Brasília. Durante a madrugada, algumas ruas e avenidas da capital tiveram pontos de alagamento.

Em Águas Claras, as casas localizadas na parte mais baixa do bairro foram inundadas. Alguns pontos se transformaram em lagoas. Muita gente ainda tentava tirar, sem sucesso, água e lama que invadiram as casas.

‘A casa está alagada. É costume. Quando chove, alaga tudo’, conta a dona de casa Maria dos Santos.

Revoltados, moradores fecharam uma das principais ruas do bairro com pneus, que foram incendiados. O protesto só foi controlado depois da chegada da Polícia Militar.

No Bairro da Paz, imagens feitas esta manhã por um cinegrafista amador mostram a Rua Tancredo Neves completamente alagada.

Alagamentos e prejuízos também para os moradores de São Tomé de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. A lama invadiu várias casas. ‘Eu e meu filho ainda tentamos fazer um muro de contenção ali, uma mureta para a água não entrar, mas não adiantou. A água invadiu. Vários prejuízos. Tentei salvar alguns móveis. Está tudo aqui calçado com bloco, mas mesmo assim não teve jeito’, mostra a comerciante Eleticilda Viana.

Na Estrada da Base Naval, também em São Tomé de Paripe, quatro postes caíram. Por volta de oito horas da manhã, voltou a chover forte em vários pontos da capital, formando poças d’água em ruas e avenidas.

Os problemas, muitas vezes, são provocados pelo lixo jogado em encostas e bueiros, o que dificulta o escoamento da água.

Fonte: ibahia.com


Nenhum comentário: